jump to navigation

Os Bons Tempos da Era Grunge no Templo do Cachorro. novembro 2, 2007

Posted by Bruno de Lima Assis Figueiredo in Filmes e Música.
add a comment

Temple Of The Dog

Imagine se os dois maiores vocalistas da atualidade, Chris Cornell (sound garden e audioslave) e Eddie Vedder (Pearl Jam), montassem uma banda. Um tem um timbre onde atinge notas mais agudas o outro as mais graves. Parece uma mistura perfeita não é mesmo? Então não precisa imaginar, porque esta banda já existiu e se chamava Temple of The Dog.

O Temple of the Dog foi mais um projeto temporário de alguns amigos em homenagem ao cantor Andrew Wood. Andrew foi vocalista do Mother Love Bone, uma das bandas pioneiras do grunge, e morreu em março de 1990, vítima de uma overdose de heroína. Fizeram parte da banda: dois membros do Soundgarden, o vocalista Chris Cornell (que conhecia Andrew pois havia sido seu companheiro de quarto em Seattle) e o baterista Matt Cameron; dois ex-membros do Mother Love Bone, o guitarrista Stone Gossard e o baixista Jeff Ament; além de dois ainda desconhecidos amigos de Gossard, o vocalista Eddie Vedder e o guitarrista Mike McCready.

Gravaram um único álbum auto-intitulado, que saiu pela A&M Records, em 1991. O disco recebeu críticas positivas, mas só recebeu a atenção que merecia depois que o Pearl Jam (banda formada por Gossard, Ament, Vedder e McCready após o fim do Temple of the Dog) estourou ao redor do mundo com seu primeiro disco chamado “Ten”. Depois do fim dessa homenagem, Cameron e Cornell voltam para o Soundgarden e o resto, como dito acima, forma o Pearl Jam, que é hoje uma das mais populares bandas nascidas na esfervecente Seattle do início década de 90.

Presenteio vocês com um clipe do Temple Of The Dog e um show do Pearl Jam com participação especial de Chris Cornell para relembrar os tempos de Temple Of The Dog na era grunge.

Temple of the Dog – Hunger Strike

Pearl Jam e Chris Cornell – Hunger Strike

 

Stoned setembro 20, 2007

Posted by Bruno de Lima Assis Figueiredo in Filmes e Música.
add a comment

Capa do filme Stoned 

Ontem as 22h liguei minha tv, deitei e fui recorrer ao Telecine Cult que sempre me presenteia neste horário com bons filmes. O filme? Stoned (2005), baseado na misteriosa morte do criador dos Rolling Stones, Brian Jones.

Um dos maiores astros da música dos anos 60, membro fundador dos Rolling Stones em 1962, Brian Jones teria sido o mais talentoso entre eles, o mais bem aparentado e inteligente, o que tinha mais estilo no figurino, o mais excêntrico e o primeiro a namorar Anita Pallenberg, a musa loira do grupo. A encarnação do Rolling Stone ideal, que pavimentou o caminho trilhado nas últimas décadas por Mick Jagger.

Fato é que o guitarrista foi peça essencial na formação dos Stones, e não só pelo seu estilo de roqueiro extravagante. Nos sete anos que permaneceu como guitarrista da banda, Jones contribuiu com sua criatividade afiada para arranjos e seu talento extraordinário para tocar qualquer instrumento, assumindo por conta própria o papel de líder do grupo.

O artista foi o criador da maior banda de rock de todos os tempos, os Rolling Stones, mas no auge da fama se rebelou contra tudo que o cercava e passou a se dedicar ao cinema e à música étnica no Marrocos. Jones foi da ascensão à ruína em apenas sete anos.

O filme apresenta a teoria de homicídio em torno da morte de Jones, encontrado na piscina de sua casa em 02 de julho de 1969, supostamente vítima de afogamento acidental devido aos efeitos do álcool e das drogas. Imperdível!!!

Bria Jones , Yoko Ono e Jhon Lennon com seu filho Julian Lennon
Bria Jones , Yoko Ono e John Lennon com seu filho Julian Lennon na
gravação do show especial Rock and Roll Circus do Rolling Stones.